logo CINTED


Normas para editoração e apresentação dos trabalhos

1. Objetivos

O Ciclo de palestra Novas Tecnologias na Educação organizado pelo CINTED - Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação da Universidade Fedeal do Rio Grande do Sul é o primeiro de uma série de eventos destinados a promover/disseminar o uso de tecnologias de comunicação e informação na Educação.

2. Submissão de material

Cada edição do Coclo de palestras e envolve o corpo docente e discente dos Programas de pós-graduação da UFRGS e em especial do PGIE - Pós-Graduação Informãtica na Educação, professores de outras unidades da UFRGS e professores de outras universidades, nacionais ou estrangeiras, convidados especialmente para a composição do Ciclo de palestras.

A simples remessa dos originais para apreciação implica autorização para publicação nos anais dos Ciclos de palestras. Os conceitos, declarações e conclusões contidos nos trabalhos são de total responsabilidade dos respectivos autores. A revista não se responsabiliza por eventuais erros de português e/ou de concordância gramatical, ficando estes sob responsabilidade de cada autor. O autor apresentador do artigo receberá gratuitamente o material elaborado para o Ciclo de Palestras e terá inscrição sem pagamento de taxas.

Os materiais para publicação deverão ser enviado em forma final por email para o endereço informado em cada evento acompanhados de carta submetendo o trabalho para publicação e contendo informações completas sobre o(s) autor(es) (nome completo, titulação acadêmica,

filiação institucional, atividades que desempenham na instituição citada, endereço para correspondência, telefone, fax e correio eletrônico). O trabalho aceito para publicação deverá ser enviado em meio eletrônico (disquete ou e-mail) no formato DOC (MS Word) ou RTF (Rich Text Format), obedecendo a formatação apresentada nesta orientação, acompanhadas dos arquivos necessários para ilustrações e tabelas. Cada uma das tabelas ou figuras está gravada em um único arquivo de formato DOC (MS Word), XLS (MS Excel). No caso de artigos que contenham fórmulas matemáticas, recomenda-se que sejam acompanhados de uma folha separada que relacione e descreva as variáveis utilizadas.

3. Tipo de matérias

O Ciclo de palestras visa a apresentação dos seguintes tipos de matéria:

· ARTIGOS - relacionados à temática central do ciclo de palestras e apresentados em forma de revisão de literatura ou ensaios (máximo de 10 laudas)

· RELATOS DE PESQUISA - Publicação de experiências de pesquisas relacionadas à temática central do ciclo de plaestras, desenvolvidas ou em andamento. (máximo de 10 laudas)

· RELATOS DE EXPERIÊNCIAS - Publicação de experiências profissionais relacionadas à temática central do ciclo de palestras, desenvolvidas ou em andamento que por sua proposta apontem perspectivas críticas na área ( máximo de 10 laudas)

· PONTO DE VISTA - temas de relevância para o conhecimento pedagógico, científico, universitário, apresentados na forma de comentários que abordem novas idéias ou perspectivas sobre o assunto (máximo de 8 laudas)

· RESENHAS - Resenhas de livros, artigos, teses e dissertações relacionadas à temática central da revista (máximo de 6 laudas)

· RESUMOS DE TESES, DISSERTAÇÕES E MONOGRAFIAS - resumos relacionados à temática central

do ciclo de palestras ( máximo de 3 laudas)

OBS.: ARTIGOS, RELATOS DE PESQUISA e RELATOS DE EXPERIÊNCIAS deverão vir acompanhados de resumo e do abstract em inglês (nome do texto e o resumo)

4. Estrutura

Os artigos deverão ser organizados em Título do trabalho, Resumo/Palavras-chaves (e respectivos Abstract/ Keywords), Texto, Notas do texto, Agradecimentos (quando for o caso) e Referências bibliográficas. Somente em casos muito especiais serão aceitos, para análise, trabalhos com número de páginas superior a 10.

Editar o arquivo de acordo com as seguintes orientações:
  • Tamanho da folha: para  impressão em papel  A4 (21,0 cm x 29,7 cm). Com vistas a permitir uma boa visualização do texto, bem como a sua correta reprodução e encadernação sugere-se observar as seguintes margens:
    • - superior 3,0 cm
    • inferior 2,0 cm
    • esquerda e direita 3,0 cm
  • Alinhar a margem direita evitando separações silábicas com barras ou outros sinais.
  • Utilizar fonte "Times" tamanho 12 ou equivalente. Não utilizar fontes que ocupam muito espaço tal como "Bookman".  No texto utilizar espaço 1.  O fim de uma seção e o cabeçalho da próxima são separados por um espaço extra.
  • Todas as páginas do trabalho devem ser numeradas, com exceção da folha de rosto.  Os números, em algarismos arábicos, são colocados, no centro da margem superior. Sugere-se utilizar o comando "cabeçalho" do editor de texto para especificar a paginação. Entre a paginação e o texto deixar algum espaço para destacar os dois elementos.


4.1. Título do trabalho

O título do artigo deve ser conciso, mas o suficientemente claro para permitir a pronta identificação

do conteúdo do trabalho. Um asterisco-índice sobrescrito, para chamada de rodapé, poderá ser colocado ao final do título, separado deste por um espaço, com a finalidade de colocar uma nota explicativa, em casos como o de trabalhos extraídos de teses e dissertações, trabalhos apresentados em congresso ou para indicar o órgão financiador da pesquisa. Quando o idioma do artigo for o português, o título deve ser apresentado também em inglês, precedendo o abstract.

4.2. Autores

Logo após o título do trabalho, separado deste por um espaço, deve ser colocado um parágrafo

(alinhado a direita) contendo os nomes dos autores, um nome por linha. Os nomes devem ser completos, tendo a inicial de cada prenome e sobrenome em letras maiúsculas e o restante em minúsculas. Ao final de cada linha colocar um índice para rodapé na forma de asteriscos, em sobrescrito. Se não houver nota de rodapé para o título, o primeiro autor usará como índice de nota de rodapé 1 (um) asterisco, senão, 2 (dois) asteriscos; cada um dos outros autores usará um asterisco a mais que o autor que o precede. No rodapé da primeira página colocar uma nota, correspondendo ao asterisco-índice, com os seguintes dados do autor: a qualificação profissional, a titulação de mais alto nível, entidade em que trabalha, cargo que ocupa, endereço eletrônico e, quando existir, URL do site pessoal ou da instituição/departamento do autor. Pode-se complementar essa qualificação, quando for o caso, com outros dados, como, por exemplo, ser bolsista do CNPq.

4.3. Resumo

O artigo devem possuir obrigatoriamente um resumo, no seu idioma original, com 100 a 200 palavras ou 10 linhas no máximo; seguido de um conjunto de palavras-chaves (de 3 até 5, escritas em minúsculas), também no idioma original do artigo. Logo a seguir deve aparecer a tradução do resumo e das palavras- chaves, segundo o seguinte critério: se o idioma do artigo for o português, a tradução será para o inglês

(Abstract, Keywords); se for espanhol (Resumen) ou inglês (Abstract), a tradução será para o português.

O resumo deve ser claro, sucinto e explicar, em um único parágrafo, o(s) objetivo(s) pretendido(s), procurando justificar sua importância (sem incluir referências bibliográficas), os principais procedimentos adotados, os resultados mais expressivos e conclusões.

4.4. Texto

Recomenda-se que o artigo contenha, embora possa estar sob outras denominações ou formas, os seguintes aspectos:

a) Introdução: Devem ser evitadas divagações, utilizando-se de bibliografia apropriada para formular os problemas abordados e a justificativa da importância do assunto, deixando muito claro o(s) objetivo(s) do trabalho.

b) Material e Métodos: Dependendo da natureza do trabalho, uma caracterização da área experimental deve ser inserida, tornando claras as condições em que a pesquisa foi realizada. Quando os métodos forem os consagradamente utilizados, apenas a referência bibliográfica bastará; caso contrário, é necessário apresentar uma descrição dos procedimentos utilizados, adaptações promovidas, etc. Unidades de medidas e símbolos devem seguir o Sistema Internacional.

c) Resultados e Discussão: Confrontar os dados obtidos com os apresentados em literatura especializada.

d) Conclusões: Apresentar suas conclusões, buscando confrontar o que se obteve com os objetivos inicialmente estabelecidos.

Quando necessário, os nomes científicos devem ser escritos em itálico. As abreviações devem ser indicadas no texto em sua primeira aparição. Em seguida, não se deve repetir o nome por extenso.

O número de tabelas e figuras utilizadas no artigo deve ser limitadas a compreensão e elucidação do texto. Devem ser inseridas no corpo do texto, para identificação da sua posição e do tamanho aproximado.

Além disso devem ser enviadas, também, em arquivo separado do texto do artigo, sempre que possível no formato TIFF com resolução de 300dpi. As figuras ras devem ser o suficientemente nítidas para permitir sua reprodução. Figuras e tabelas devem ter largura máxima de 175 mm. As figura devem ter uma altura máxima de 250 mm. Tabelas e figuras coloridas serão convertidas para tons de cinza. Tabelas e figuras possuem numeração independente, que deve ser feita seqüencialmente na ordem em que são citadas no texto. Devem também ter uma legenda auto-explicativa, sendo que as tabelas terão legendas na parte superior e as figuras as terão na parte inferior, centralizadas em relação à tabela ou figura. A legenda inicia com o termo "Tabela" ou "Figura" (primeira letra em maiúscula), de acordo com o caso, seguido de um espaço e do número de ordem seqüencial, em algarismos arábicos, seguido de hífen entre espaços e do texto da legenda, com a primeira letra da primeira palavra em maiúscula e as demais em minúscula, exceção feitas àquelas que normalmente são escritas em maiúsculas. Devem ser citadas no texto como "Tabela" e "Figura" seguidas de espaço e do número correspondente.

4.5. Notas de texto

As notas referentes ao texto em si, abrangendo comunicações pessoais e trabalhos em andamento, serão apresentadas no final do artigo, antes das referências bibliográficas, numeradas

seqüencialmente, em algarismos arábicos, de acordo com a ordem em que aparecem no texto. Tanto o número-índice, que é inserido no texto, em local apropriado, quando o número da nota, que aparece no conjunto de notas de texto, devem estar em sobrescrito.

As notas devem ser de natureza substantiva ou explicativa. Livros no prelo são citados nestas notas e não nas Referências bibliográficas.

4.6. Agradecimentos

Usados apenas quando necessário. Devem ser sucintos, diretos e dirigidos apenas a pessoas ou instituições que contribuíram substancialmente para a elaboração do trabalho.

4.7. Referências bibliográficas

As referências a autores e fontes são inseridas no texto colocando entre parênteses o sobrenome do autor, com inicial maiúscula, seguida da data, conforme o exemplo: (Tarouco, 1991). Quando for conhecida a paginação, pode-se incluí-la, por exemplo, (Tarouco, 1991, p. 237). Havendo mais de um título do(s) autor(es) no mesmo ano, deve-se distingui-las utilizando uma letra minúscula (a,b,c) depois da data, por exemplo, (Tarouco, 1991b). Quando houver três ou mais autores, no texto será citado apenas o primeiro autor seguido de "et al.", mas nas referências bibliográficas, no final do artigo, os demais nomes também deverão aparecer. Quando o nome do autor é citado diretamente no texto pode-se colocar entre parênteses apenas a data de publicação, por exemplo,

Tarouco (1991). Na citação de citação, identifica-se a obra diretamente consultada; o autor e/ou a obra citada nesta é assim indicado: Tarouco (1991) citada por Vicari (1999).

As referências completas de cada autor e fonte citadas no texto devem aparecer no final do artigo sob o título "Referências Bibliográficas", ordenadas alfabeticamente pelo(s) sobrenomes(s) do(s) autore(s).

Os autores do artigo devem certificar-se de que as referências citadas no texto contam da lista de referências com datas exatas e nomes de autores corretamente grafados. A exatidão dessas referências é de responsabilidade dos autores do artigo. Comunicações pessoais, trabalhos inéditos ou em andamento poderão ser citados quando absolutamente necessários, mas não devem ser incluídos na lista de referências bibliográficas; apenas citados no texto ou nas Notas do texto.

Os itens a seguir exemplificam os diversos tipos de referência bibliográfica.

4.7.1. Livro

  1. Autor Pessoal:
  2. Indica-se um autor pelo último sobrenome, em maiúsculas, seguido do pronome e outros sobrenomes abreviados ou não. Os nomes devem ser separados por ponto e vírgula, seguido de espaço.

    ALVES, Roque de Brito. Ciência Criminal. Rio de Janeiro: Forense, 1995. DAMIÃO, Regina Toledo; HENRIQUES, Antônio. Curso de direito jurídico. São Paulo: Atlas, 1995. PASSOS, L.M.M.; FONSECA, A.; CHAVES, M. Alegria de saber: matemática, segunda série. 2. Primeiro grau: livro do professor. São Paulo: Scipione. 1995. 136 p.

    CARDOSO, M. J.; ANDRADE JÚNIOR, A. S.; MELO, F. B.; FROTA, A. B. Avaliação agroeconômica da produção de sementes de caupi sob irrigação. Teresina: Embrapa Meio-Norte, 1995. 6 p. (Embrapa Meio-Norte. Comunicado Técnico, 62).

  3. Autor entidade:
  4. Obras de responsabilidade de entidades (orgãos governamentais, empresas, associações, congressos, seminários, etc) têm entrada pelo seu próprio nome, por extenso.

    ASSOCIAÇÂO BRASILEIRA DE NORNAS TÉCNICAS. NBR 10520: apresentação de citações em documentos: procedimento. Rio de Janeiro, 1986.

    UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catálogo de teses da Universidade de São Paulo, 1992. São Paulo, 1993. 467p.

    EMBRAPA. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solo. Critérios para distinção de classes de solos e de fases de unidades de mapeamento: normas em uso pelo SNLCS. Rio de Janeiro, 1988. 67p. (Embrapa-SNLCS. Documentos, 11).

  5. Autoria desconhecida:

A entrada é feita pelo título. O termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido. DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro. 1993, 64p.

d) Capítulo de livro:

BOOTE, K.J.; JONES, J.W.; HOOGENBOOM, G. Simulation of crop growth: CROPGRO model. In: PEART, R.M.; CURRY, R.B. (Ed). Agricultural systems modeling and simulation. New York: Marcel Dekker, 1998. p.651-691.

ANDRADE JÚNIOR, A.S.; RODRIGUES, B.H.N.; BASTOS, E.A. Irrigação. In: CARDOSO, M.J. (Org.). A cultura do feijão caupi no Meio-Norte do Brasil. Teresina: Embrapa Meio-Norte, 2000. p.127-154. (Embrapa Meio-Norte. Circular Técnica, 28).

e) Monografias, dissertações, teses:

BASTOS, E.A. Adaptação do modelo CROPGRO para simulação do crescimento e desenvolvimento do feijão caupi (Vigna unguiculata L. Walp.) sob diferentes condições hídricas, no Estado do Piauí. Piracicaba: ESALQ/USP, 1999. 91p. Tese de Doutorado.

4.7.2. Artigos de periódicos

4.7.2.1. Jornal

Os elementos essenciais são: autor (se houver), título, sub-título (se houver), título do jornal, local de publicação, data de publicação, seção, caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente.

  1. Artigo de Jornal Diário
  2. NAVES, P. Lagos andinos dão banho de beleza. Folha de São Paulo. São Paulo, 28 jun. 1999. Folha Turismo. Caderno 8. P. 13

    MANSILLA, H.C.F. La controversia entre universalismo y particularismo em la filosofia de la cultura. Revista Latinoamericana de Filosofia, Buenos Aires, v.24, n.2, primavera 1998.

  3. Matéria de Jornal Assinada

LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p.3, 25 abr. 1999.

c) Matéria Assinada em Jornal eletrônico

SILVA, I.G. Pena de morte para o nasciturno. O Estado de São Paulo, São Paulo. 19 set. 1998. Disponível em: <http://www.providafamilia.org/pena_morte_nasciturno.htm> Acesso em 19 set. 1998.

d) Artigo de Jornal Eletrônico Científico

KELLY, R. Eletronic publishing at APS: its not just online journalism. APS News Online. Los Angeles. Nov. 1996. Disponível em: <http://www.aps.org/ apsnews.html>Acesso em : 25 nov. 1998.

4.7.2.2. Revista

Os elementos essenciais são autor(es) (se houver), título do artigo ou matéria, sub-título (se houver), título da publicação, local de publicação, numeração correspondente ao volume e/ou ano, fascículo ou número, paginação inicial e final de artigo ou matéria, as informações de período e data de publicação.

a) Artigo de Revista Institucional

COSTA, V.R. À margem da lei: o Programa Comunidade Solidária. Em Pauta - Revista da Faculdade de Serviço Social da UERJ, Rio de Janeiro. n.12, p.131-148, 1998.

GURGEL, C. Reforma do Estado e Segurança Pública. Política e Administração, Rio de Janeiro, v.3, n.2, p 15-21, set. 1997.

b) Coleção de Revista

REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA, Rio de Janeiro: IBGE, 1939 - Trimestral. Absorveu Boletim Geográfico do IBGE. Índice acumulado, 1939-1983. ISSN 0034-723X.

BOLETIM GEOGRÁFICO. Rio de Janeiro: IBGE, 1943-1978. Trimestral.

c) Artigo de Revista Eletrônica

SILVA, M.M.L. Crimes da era digital. Net, Rio de Janeiro, nov. 1998. Seção Ponto de Vista. Disponível em: < http ://www.brazilnet.com.br/contexts/brasilrevistas.htm> . Acesso em: 28 nov. 1998.

d) Matéria de revista eletrônica não assinada

WINDOWS 98: o melhor caminho para atualização. PC World, São Paulo, n.75, set. 1998. Disponível em: <http://www.idg.com.br/abre.htm> . Acesso em: 10 set. 1998.

4.7.3. Anais de congressos, simpósios, encontros científicos ou técnicos

MELO, F. B.; CARDOSO, M. J.; ANDRADE JÚNIOR, A. S.; ATHAYDE SOBRINHO, C. Efeitos de diferentes sistemas de manejo do solo em suas propriedades físicas e na produtividade de grãos de feijão caupi. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA, 12., 1998, Fortaleza. Anais. Fortaleza: Sociedade Brasileira de Conservação do Solo/Universidade Federal do Ceará, 1998, p.112-113.

BASTOS, E. A.; RODRIGUES, B. H. N.; ANDRADE JÚNIOR, A. S.; CARDOSO, M. J. Crescimento e desenvolvimento do feijão caupi sob diferentes regimes hídricos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA, 28., 1999, Pelotas. Anais. Pelotas: Sociedade Brasileira de Engenharia

Agrícola/Universidade Federal de Pelotas. 1999. (CD-ROM).

4.7.4. Documentos Eletrônicos

Os elementos essenciais são: autor, denominação ou título e sub-título se houver, do serviço ou das pessoas.

a) Banco de Dados

TROPICAL DE PESQUISAS E TECNOLOGIA "ANDRÉ TOSELLO". Base de Dados Tropical: no ar desde 1985. Disponível em: <http://www.bdt.org/bdt/acarosp>. Acesso em: 28 nov. 1998.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca de Ciência e Tecnologia. Mapas. Curitiba, 1997. Base de dados em Microlsis, versão 3.7.

b) Lista de Discussão

BIOLINE Discussion List. List maintained by the Bases de Dados Tropical, BDT in Brasil. Disponível em :<lisserv@bdt.org.br>. Acesso em : 25 nov. 1998.

c) Homepage Institucional

CIVITAS. Coordenação de Simão Pedro P. Marinho. Desenvolvido pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerias. 1995-1998. Apresenta textos sobre urbanismo e desenvolvimento de cidades. Disponível em: <http://www.gcsnet.com.br/oamis/civitas>. Acesso em: 27 nov. 1998.

d) Arquivo em Disquete

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas.doc normas para apresentação de trabalhos. Curitiba, 7 mar. 1998. 5 disquetes, 3½ pol. Word for Windows 7.0.

e) Software Educativo CD-ROM

PAU no gato! Por quê? Rio de Janeiro: Sony Music Book Case Multimídia Educacional [1990]. 1 CDROM. Windows 3.1.