UFRGS

CESTA - Coletânea de Entidades de Suporte ao uso de Tecnologia na Aprendizagem

Arquitetura 

Para a construção deste sistema, utilizou-se, como recurso de armazenamento e consulta, a estrutura de diretórios LDAP (Lightweight Directory Access Protocol).

LDAP é um protocolo aberto para acessar serviços de diretórios X.500. O LDAP é a alternativa leve para o Protocolo de Acesso a Diretórios X.500 (X.500 Directory Access Protocol – DAP) para uso na Internet. Ele usa a pilha TCP/IP ao invés da complexa pilha OSI. Ele também possui outras simplificações, como a
representação da maioria dos valores dos atributos como texto e muitos itens do protocolo como strings textuais, que são designadas a facilitar a implementação de clientes.

Para a criação da base LDAP foi necessária a especificação dos atributos descritos na norma IEEE 1484.12.1 na linguagem ASN.1 (Abstract Syntax Notation One) e sua posterior incorporação ao objeto lom (Learning Object Model), criado e usado para o cadastro dos objetos educacionais.

Para identificar os atributos e objetos foi usado o OID (Object Identificator) 1.2.6.1.9.100, designando pelo IANA (Internet Assigned Numbers Authority) para a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do
Sul).

Os primeiros cinco dígitos do OID acima citado são da UFRGS e o número 100 que vez após este identificador é o número usado para designar o objeto lom.

A tabela 1 mostra um exemplo de um atributo utilizado pelo objeto lom.

attributetype ( 1.2.6.1.9.100.1.2 NAME 'lomTitle'
DESC 'Name given to this learning object'
EQUALITY caseIgnoreMatch
SYNTAX 1.3.6.1.4.1.1466.115.121.1.15{1000} )
Tabela 1 – Exemplo de atributo

O identificador do atributo lomTitle, mostrado na tabela 1, possui o identificador 1.2.6.1.9.100.1.2. O número que vem após o OID do objeto é indicativo do código do atributo na norma IEEE 1484.12.1. O campo DESC é uma descrição do atributo. O campo SYNTAX, que possui o identificador 1.3.6.1.4.1.1466.115.121.1.15 (indica que o atributo é uma string), diz que o limite é de 1000 caracteres.

Para cada um dos atributos descritos na norma do IEEE, foi criada uma entrada de atributo no do servidor LDAP. A tabela 2 mostra o nome todos os atributos criados e importados pelo objeto lom.

objectclass ( 1.2.6.1.9.100.0 NAME 'lom' SUP top STRUCTURAL
MUST ( lomIdentifier )
MAY ( lomGeneral $ lomTitle $ lomLanguage $
lomDescription $ lomKeyword $ lomLifeCycle $ lomVersion $
lomStatus $ lomContribute $ lomRole $ lomEntity $ lomDate $
lomTechnical $ lomFormat $ lomSize $ lomLocation $
lomRequirement $ lomOrComposite $ lomType $ lomDuration $
lomEducational $ lomName $ lomInteractivityType $
lomLearningResourceType $ lomInteractivityLevel $
lomSemanticDensity $ lomIntendedEndUserRole $ lomContext $
lomTypicalAgeRange $ lomEducationalDescription $ lomRights $
lomCost $ lomCopyrightAndOtherRestrictions $ lomRightsDescription
) )

Tabela 2 – Descrição do objeto lom

O exemplo da tabela 2 mostra que o objeto necessita obrigatoriamente do atributo predefinido lomIdentifier e todos os demais que estão no campo MAY.

Para a implantação do servidor LDAP, foi utilizado o software OpenLDAP (OpenLDAP, 2003). Para a criação da interface de consulta foram utilizadas as linguagens PHP (PHP, 2003) como SSI (Server Site Included), e DHTML e JavaScript como CSL (Client Site Included).

CESTA arquitetura

Para a parte de implementação, o PHP foi usado para receber as informações vindas do formulário de cadastro e fazer a sua inclusão dentro do sistema LDAP. Este mesmo recurso foi utilizado para a parte de consulta, recebendo as informações vindas do formulário de consulta e fazendo uma busca da base de dados LDAP.

O sistema operacional utilizado para o protótipo foi o RedHat Linux versão 7.3.
O servidor web, para o suporte as aplicações SSI, utilizado foi o Apache versão 1.3.27.
A versão de PHP utilizada foi a 4.3.1.

As entradas de dados no sistema LDAP são realizadas através de uma interface WEB. A figura 1 mostra esta interface.

tela de cadastro do CESTA

A utilizaçao do LDAP como suporte ao CESTA visou facilitar sua expans~ao para uma forma de opera'c~ao federada na qual consultas enviadas a uma servidor LDAP podem ser encaminhadas pelo mesmo a outro servidor caso este n~ao encontre a resposta procurada. Esta modalidade de oepra'c~ao em federa'c~oes de reposit'orios permite ampliar o escopo de uso do sistema atrav'es de reposit'orios  distribu'idos.

CETSA Federacao